×

Camacan: PM faz palestra com instrução de Direito Penal

A iniciativa é parte de uma preocupação da gestão com a formação e aprimoramento dos policiais militares.

A delegada Kantiana Amorim Teixeira, ladeada do Major Penalva no ambiente do evento.

A 62a CIPM realizou na manhã de quinta-feria (6), a primeira parada militar após a promoção do Comandante da unidade ao posto de Major sob Penalva que além da se de Camacan, comanda mais cinco municípios do Sul baiano. A palestrante destacou principalmente sobre o auto de intervenção policial com resultado morte e/ou lesão corporal de natureza grave e auto de resistência. A preleção foi impetrada pela Dra. Kantiana Amorim Teixeira, Delegada de Polícia Civil e professora de direito penal e criminologia da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

Na oportunidade, o Comandante da Companhia Major Penalva, agradeceu ao efetivo pela união de forças do evento, que contribuiu e resultou no mais absoluto sucesso. O objetivo é preparar melhor o policial, em situações que venham ocorrer a necessidade  de situações mais complexas e ostensivas. Estiveram presentes sessenta policiais militares entre oficiais e praças, que após o procedimento ordinário militar seguido de coffee break, deu-se início a mais um momento de valiosa instrução teórica. Desta vez em matéria de direito penal aplicado aos procedimentos legais em caso de intervenção policial com resultado morte e/ou lesão corporal, os antes denominados, autos de resistência.

A iniciativa faz parte de uma preocupação da gestão com a formação e aprimoramento dos policiais, que a levou firmar importantes parcerias com as demais instituições do sistema de segurança pública. Após as palestras com juízes de Direito e promotores de Justiça. A 62a CIPM, segue firme no compromisso de investir no capital intelectual do profissional de segurança pública em tela.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.