×

Bahia zera estoque de remédios contra HIV; Sesab atribui problema ao governo federal

O Ministério da Saúde, por sua vez, disse que desde janeiro realiza ações para regularizar a situação e que “muitos processos não foram iniciados no tempo devido e, por isso, as entregas estão ocorrendo de modo intempestivo”.

IMAGEM NOTICIA 5 11 300x221 - Bahia zera estoque de remédios contra HIV; Sesab atribui problema ao governo federal - o tempo jornalismo

Dentre as soluções, está a ampliação dos processos licitatórios de compra para abastecimento de, no mínimo, um ano.

Está zerado o estoque de 24 medicamentos na rede pública de saúde da Bahia, dentre eles remédios usados no tratamento contra HIV, tuberculose, Parkinson e Alzheimer. De acordo com informações do Correio, além destes, outros 19 devem acabar em até 45 dias.

Segundo a publicação, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) atribui a escassez por falta de reposição por parte do Ministério da Saúde. “Infelizmente, a maioria dos medicamentos não possuem substituto, nem solução de abastecimento imediata”, afirmou a Sesab, em comunicado, informando ainda que notificou o governo federal sobre o problema e que levou o caso ao Ministério Público Federal (MPF).

O Ministério da Saúde, por sua vez, disse que desde janeiro realiza ações para regularizar a situação e que “muitos processos não foram iniciados no tempo devido e, por isso, as entregas estão ocorrendo de modo intempestivo”. A pasta não disse, no entanto, se a Bahia estaria incluída nesta realidade.

No estado, o ministério afirmou que “a distribuição dos medicamentos Infliximabe 10mg/ml, Tacrolimo 1mg, Trastuzumabe 150mg, Micofenolato de Mofetila 500mg e Micofenolato de Sódio, e do Imatinibe 100 mg e Imatinibe 400 mg já está regularizada” e que quanto aos demais, “a expectativa é de assinatura dos contratos de compra para regularização do abastecimento de grande parte dos fármacos ainda no mês de maio”. O Ministério da Saúde diz ainda que “está adotando uma série de medidas para evitar que essa situação aconteça novamente”. Dentre as soluções, está a ampliação dos processos licitatórios de compra para abastecimento de, no mínimo, um ano.

A maioria dos medicamentos oferecidos na rede pública são de alto custo no mercado, a exemplo do Abatacepte 125mg (R$ 2.154,50), usado contra artrite reumatoide, ou o Desatinibe 100 mg (R$5.449), para leucemia mieloide crônica. Dentre os remédios com estoque zerado estão alguns usados nos tratamentos de pacientes com Hanseníase, Hepatite, Parkinson, Esclerose Múltipla e Tecidos Transplantados.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Curta Nossa Fan Page

banner whats 300x95 - Bahia zera estoque de remédios contra HIV; Sesab atribui problema ao governo federal - o tempo jornalismo

  • últimas notícias
  • mais lidas