×

Camacan: Vereador Valdir Veloso diz que se o universitário não tem condições, deve ficar isento do pagamento

Ele reafirmou que este projeto, era para ser votado desde a primeira sessão, e se não passar, vai complicar ainda mais a vida dos alunos.

Veloso espera que o projeto seja votado e aprovado para que os acadêmicos tenham seus direitos assegurados.

A cobrança de 3% de um salário mínimo aos estudantes universitários, pelo transporte escolar para as universidades de Itabuna e Ilhéus, voltou ser assunto da pauta na noite desta terça-feira (4), na Câmara de vereadores. E diante de um impasse que dividiu os legisladores, o parlamentar Valdir Veloso, voltou a dizer que o Município de Camacan, vive de repasses do Governo Federal e por isso não tem condições de bancar sozinho as despesas e, com o aumento de 60 alunos por ano indo para a faculdade, cresce ainda mais a demanda.

Ele reafirmou que este projeto, era para ser votado desde a primeira sessão, e se não passar, vai complicar ainda mais a vida dos alunos, que poderão em um futuro próximo, ficar sem sem o transporte escolar universitário. Ele espera que o projeto seja votado e aprovado para que os acadêmicos tenham seus direitos assegurados.

A Lei orgânica do município, garante aos alunos transporte em 108 Km de ida e de volta, e essa emenda parlamentar que está em tramitação, a qual os vereadores estão votando, garantirá em 100% a continuidade do serviço e é exatamente isso que Valdir Veloso, está propondo junto com a maioria dos demais edis. Para Valdir, há uma necessidade de se eleger pelo menos dois Deputados federais da região, em parceria com o Consórcio, objetivando trazer emendas parlamentares para que eles, tragam extensões universitárias, que venham facilitar o acesso dos alunos às universidades.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

  • últimas notícias
  • mais lidas