×

Camacan: Homicída “Galego” é encontrado morto a tiros no Rio Pardo

O homem era o principal responsável pelo assassinato do casal Kito e Vanda, que também teve sua casa incendiada pelos criminoso.

O corpo do criminoso identificado como Galego, foi tirado do rio por populares em uma canoa.

O Corpo de um homem identificado como Mateus Silva de Jesus, “Galego”, considerado de alta periculosidade, foi encontrado morto a tiros, na Fazenda Nanci, região do Rio Pardo, por volta das 10:00hs desta quinta-feira (4). O corpo estava boiando dentro do Rio quando foi encontrado por populares, em estado de decomposição.

As informações preliminares apontam que ele foi assassinado supostamente a tiros, pois foram encontrados perfuros de bala nas costas. Ele era o principal apontado pelo assassinato do casal Kito e Vanda, ocorrido dia 1º de fevereiro de 2017, também no Rio Pardo. Dois dias após a morte do casal, quatros homens suspeitos de participarem do assassinato do casal, foram mortos em confronto com a polícia no distrito de Leoventura. Na época Galego, considerado chefe do bando, conseguiu fugir durante a troca de tiros. No esconderijo do bando, os policiais encontraram armas, drogas e objetos roubados.

Segundo ainda informações, além de matar marido e mulher, os criminosos incendiaram a casa e o veículo do casal. Kito era agricultor, um cidadão bastante conhecido, trabalhador e bem relacionado no município. Desde que matou o casal de agricultores, Galego era o foragido mais procurado da região de Camacan, pela prática do tráfico de drogas, assalto a mão armada, intimidação de testemunhas e homicídios.

Galego era o fugitivo mais procurado da região pelo seu recorrente grau de periculosidade.

A Polícia Civil juntamente com o Departamento de Polícia Técnica de Itabuna, (DPT), estiveram na região do Rio Pardo, na tarde desta quinta-feira, objetivando identificar e fazer o levantamento cadavérico no local. A necropsia será realizada no (DPT) de Itabuna. A Polícia está investigando o caso, mas ainda desconhece a autoria do crime.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Curta Nossa Fan Page

  • últimas notícias
  • mais lidas