×

Grupos de direita criticam ‘aula’ sobre nazismo de embaixada alemã no Brasil

Na Alemanha é crime negar o Holocausto, exibir símbolos nazistas e fazer a saudação nazista ao ditador Adolf Hitler ("Heil Hitler").

A publicação da embaixada, que não tem relação com o Brasil.

Um vídeo publicado pela Embaixada da Alemanha no Brasil a respeito extremismo de direita e suas consequências  provocou repercussão e reação entre os brasileiros nas redes sociais. Na publicação, a embaixada aborda a importância de não esquecer os crimes do nazismo, ocorridos entre 1933 e 1945, período em que o Holocausto levou à morte de cerca de 6 milhões de judeus e de 5 milhões de pessoas de outros grupos.

Nas redes sociais, brasileiros questionaram a publicação alemã, negando que tenha existido o Holocausto ou dizendo que o Terceiro Reich era um regime de esquerda, e não de extrema direita. A publicação da embaixada, que não tem relação com o Brasil, se tornou uma discussão política polarizada, surpreendendo a equipe da embaixada alemã. O vídeo ultrapassou 755 mil visualizações desde que foi publicado, no dia 5 deste mês.

Conforme informações do jornal O Globo, um trecho do vídeo publicado pela embaixada mostra uma declaração do ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas: “Quando a saudação de Hitler hoje volta a ser mostrada em nossas ruas, isso é uma vergonha para o nosso país”.  “Devemos nos opor aos extremistas de direita, não devemos ignorar, temos que mostrar nossa cara contra neonazistas e antissemitas. Então temos que nos levantar do sofá e abrir nossas bocas. Os anos de estado vegetativo discursivo devem chegar ao fim”, afirma Maas.

Na Alemanha é crime negar o Holocausto, exibir símbolos nazistas e fazer a saudação nazista ao ditador Adolf Hitler (“Heil Hitler”). A equipe de mídias sociais da embaixada explicou ao Globo que criou o vídeo com o objetivo de mostrar que os alemães não têm vergonha de falar sobre o passado nazista, principalmente para evitar que algo semelhante se repita.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Curta Nossa Fan Page

  • últimas notícias
  • mais lidas