×

Estuprador de Itabuna vai a júri popular em Salvador

Conforme apontaram as investigações, Pedro Damião convidou a criança para comprar roupas novas em um shopping na região do Iguatemi, mas foi levada por ele para um imóvel alugado.

O homem, denunciado pelo Ministério Público do Estado (MP-BA), por estuprar, matar e arrancar o órgão genital de uma criança de seis anos, no bairro Pernambués, em Salvador, vai a júri popular na segunda-feira (21), às 8h30, no Fórum Ruy Barbosa, em Salvador. A informação é do órgão estadual. Os promotores de Justiça Davi Gallo e Cássio Marcelo de Melo atuarão na acusação. De acordo com o MP-BA, o crime aconteceu em 14 de julho de 2014 e cerca de nove dias depois Pedro Damião Cruz Sena foi capturado em Itabuna. Desde então, ele responde ao processo preso.
Conforme apontaram as investigações, Pedro Damião convidou a criança para comprar roupas novas em um shopping na região do Iguatemi, mas foi levada por ele para um imóvel alugado na rua Dilson Souza, onde os crimes aconteceram. Foram os vizinhos de Pedro Damião que denunciaram à polícia, o mau cheiro vindo da casa, onde foi encontrado o corpo do menino já em estado de decomposição. Em 2014, a polícia divulgou ainda que o homem era foragido do Hospital de Custódia e Tratamento de São Paulo, onde cumpria pena por ter estuprado e matado um garoto de 9 anos, em 2004.
Pedro Damião foi preso no dia 23 de julho de 2014, perto do terminal rodoviário de Itabuna, sem documentos e tinha apenas R$ 13 em moedas. Policiais que atuam perto da rodoviária perceberam o comportamento suspeito do homem perto da rodoviária da cidade do sul da Bahia, quando fizeram a abordagem. Conduzido, ele confessou o crime à equipe da 6ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil. Em depoimento, Pedro Damião disse que dormiu ao lado do corpo da vítima. Após depoimento, ele foi encaminhado ao sistema prisional onde responde pelo crime de estupro de vulnerável com agravante de morte. (G1)

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.

Curta Nossa Fan Page

  • últimas notícias
  • mais lidas