Índio suspeito de tentar matar cacique de aldeia em Eunápolis

De acordo com a polícia, no começo da madrugada Juary Ferreira de Jesus e mais três pessoas chegaram ao local em um carro e atiraram várias vezes na casa do cacique Manoel Silva Santos, de 65 anos.

capturar-1

Juary foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito

Um índio acusado de ter tentado matar o cacique da Aldeia pataxó Uruçu, na região do Itu, zona rural de Eunápolis, está preso desde a manhã de segunda-feira (24). De acordo com a polícia, no começo da madrugada Juary Ferreira de Jesus e mais três pessoas chegaram ao local em um carro e atiraram várias vezes na casa do cacique Manoel Silva Santos, de 65 anos.

“O cacique afirmou que conseguiu correr para dentro do mato e não foi atingido pelos disparos”, disse o delegado Robson Andrade ao Radar. Durante inspeção no barraco onde Juary estava vivendo temporariamente, na mesma aldeia, os policiais encontraram uma espingarda, farta munição, além de apetrechos para arma de fogo, como pólvora, chumbo e espoletas.

“Recebemos outra denúncia dando conta que ele escondia mais armas na casa de um vizinho. Também revistamos o local e encontramos um rifle e outra espingarda”, disse um policial que participou da operação. Conforme a polícia, o índio Juary – que é mais conhecido como Curió -, é de Coroa Vermelha, no município de Santa Cruz Cabrália, mas estava passando uma temporada na aldeia Uruçu.

Juary foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Como o crime não cabe fiança, ele será encaminhado para o presídio”, frisa o delegado. A polícia investiga se, de fato, Juary tentou matar o líder indígena.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.