Pais são indiciados no DF por tentar matar filho de 2 meses com injeção de insulina

O pai do bebê trabalha há um ano como entregador de uma farmácia e investigadores acreditam que ele seja o responsável por fornecer a insulina.

Dois irmãos do bebê morreram com o mesmo diagnóstico no ano passado.

A Polícia Civil do Distrito Federal indiciou um casal por tentativa de homicídio contra o filho de 2 meses. Segundo informações do G1, investigações apontam que os pais tentaram forçar um quadro de  hiperinsulinismo congênito, uma doença em que o pâncreas produz insulina em grande quantidade. O objetivo seria chamar a atenção para o caso por meio das redes sociais e arrecadar dinheiro com a comoção popular. Dois irmãos do bebê morreram com o mesmo diagnóstico no ano passado.

Na época, a família pediu ajuda nas redes sociais. Além disso, uma outra filha do casal também já apresentou o quadro de hiperinsulinismo congênito.  A investigação teve início em junho deste ano, quando o menino de 2 meses foi internado no Hospital Universitário de Brasília (HUB) depois de sofrer uma convulsão e os pais relataram ter outros três filhos com a doença – incluindo os dois que morreram. Os médicos conseguiram reverter o quadro de hiperinsulinismo congênito.

Durante o período de internação, imagens de câmeras de segurança do hospital flagraram a mãe do garoto “em movimento que sugere a administração exógena de substância que se acredita tratar de insulina de ação rápida, o que justifica a alteração do quadro de hipoglicemia exposto”. O pai do bebê trabalha há um ano como entregador de uma farmácia e investigadores acreditam que ele seja o responsável por fornecer a insulina. Ainda segundo o G1, uma decisão da Justiça proibiu os pais de terem contato com os filhos. Médicos apontam que depois da separação, as crianças tiveram melhoras o quadro de saúde.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.