Simone Biles diz que foi molestada por ex-médico da delegação de ginástica dos EUA

Larry Nassar será condenado por sete acusações de agressão sexual na corte federal nesta semana.

Por favor, acreditem quando eu disse que era muito mais difícil falar primeiro essas palavras em voz alta do que agora é colocá-las no papel.

Grande destaque dos Jogos Olímpicos da Rio-2016, ao conquistar quatro medalhas de ouro e um bronze, a ginasta norte-americana Simone Biles revelou que também foi abusada pelo ex-médico da delegação americana Larry Nassar. Por meio da sua conta oficial no Instagram, a campeã olímpica fez o seu desabafo.

“A maioria de vocês me conhece como uma garota feliz, risonha e cheia de energia. Porém, ultimamente… Eu tenho me sentido um pouco quebrada e, quanto mais eu tento calar a voz na minha cabeça, mais alto ela grita. Eu não tenho mais medo de contar a minha história. Eu sou mais uma das muitas que foram abusadas sexualmente por Larry Nassar. Por favor, acreditem quando eu disse que era muito mais difícil falar primeiro essas palavras em voz alta do que agora é colocá-las no papel. Esse comportamento é completamente inaceitável, nojento e abusivo, especialmente vindo de alguém em quem falaram que eu poderia confiar. Por muito tempo me perguntei: “Eu era tão ingênua? Foi culpa minha?”. Agora conheço a resposta a essas perguntas. Não. Não, não foi minha culpa. Não, eu não vou e não devo levar a culpa que pertence a Larry Nassar, USAG e outros”, escreveu Biles.

Larry Nassar será condenado por sete acusações de agressão sexual na corte federal nesta semana. Em dezembro do ano passado, ele foi condenado a 60 anos de prisão por pornografia infantil. Nassar está preso em Grand Rapids, no Estado de Michigan. A US Gymnastics e o Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC) estão sendo processados pelos pais de ginastas e ex-ginastas sob a acusação de acobertar as ações do ex-médico da delegação. Ele é acusado de molestar mais de 100 ginastas, inclusive campeãs olímpicas, como é o caso de Simone Biles.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.