Ator José de Abreu tem contas reprovadas pela Lei Rouanet

Em abril deste ano, após recurso, o Ministério voltou atrás e aprovou as contas.

O mesmo projeto já tinha contas reprovadas em novembro de 2016. Em abril deste ano, após recurso, o Ministério voltou atrás e aprovou as contas.

José de Abreu terá que devolver R$ 127 mil dos R$ 299 mil que recebeu pela Lei Rouanet depois que o Ministério da Cultura (MinC) reprovou a prestação de contas de um projeto do ator.  O mesmo projeto já tinha contas reprovadas em novembro de 2016. Em abril deste ano, após recurso, o Ministério voltou atrás e aprovou as contas. A autoria do projeto, uma turnê de um espetáculo do ator em 2005, é de Camila Paola Mosquella, sua ex-mulher.

Após a aprovação, deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) solicitou explicações do MinC. Ele afirma que encontrou notas “frias” na prestação de contas e que detectou erros em nove pontos, que informou ao Ministério.

O deputado diz que havia notas fiscais de estabelecimentos diferentes, mas preenchidas com a mesma caligrafia, e que um assessor foi aos endereços de algumas das empresas e encontrou “lojas abandonadas há muitos anos”. Em fevereiro de 2016, José de Abreu havia afirmado que a CPI da Lei Rouanet serviria para “desmoralizar o mito” de que o mecanismo é “uma espécie de bolsa-família para artistas”. O ator ainda não se pronunciou sobre o caso.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.