Surfistas comemoram campeonato feminino de surfe inédito no Brasil

Quero aproveitar a etapa no Brasil para conquistar o ouro nacional.

Divisão de acesso para o campeonato mundial.

Até pouco tempo atrás, era bastante contestado no mundo do surf o motivo de não haverem campeonatos femininos do esporte no Brasil. “Para continuar disputando lá fora, precisei vender meu apartamento e meu carro”, disse a surfista Silvana Lima. Hoje, a cearense comemora etapa inédita só para mulheres da Neutrox Weekend, que acontece entre os dias 20 e 22 de outubro, no Rio de Janeiro.

Silvana, que é a única brasileira entre os cem melhores surfistas do planeta, diz estar muito feliz pelo Brasil ter voltado a sediar uma etapa do Qualifying Series feminino. Divisão de acesso para o campeonato mundial. “Nosso esporte está bem esquecido por aqui e precisamos de eventos assim para que surjam novas atletas com potencial para representar o país”, comenta ela.

De acordo com o site da revista Boa Forma, o evento vai reunir quase 100 mulheres nas categorias QS 1500, Pro Junior, Longboard e SUP Wave e Sub 16. Quem também confirmou presença foi a brasileira Chçoé Calmon, vencedora do Kumul Longboard Championships, em março, e também a peruana Anali Gomez, líder na corrida pelo título do surfe de 2017. “Nos últimos anos, tenho participado de eventos em outros continentes, principalmente Europa e Ásia. Quero aproveitar a etapa no Brasil para conquistar o ouro nacional. Mas meu principal foco continua sendo o título mundial”, diz Chloé.

Para Nicole Pacelli, campeã mundial de Stand Up Paddle, para o surfe feminino no Brasil crescer, ele precisa do apoio de marcas patrocinadoras. “Nós, mulheres, não temos eventos nacionais nem investimento. No Neutrox Weekend, vamos mostrar todo talento, garra e beleza dentro do mar”, festeja ela.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.