Se você ♥ Bahia, clique em

IGP-M de julho é o menor em dois anos, e acumulado mantém dois dígitos

Entre os preços ao consumidor, habitação recua e alimentação sobe.

image_previewSão Paulo – O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) fechou julho em 0,18%, a menor taxa em dois anos. No mês anterior, a variação havia sido de 1,69%. Calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o índice agora está acumulado em 6,09% no ano e em 11,63% em 12 meses.

Entre os componentes do IGP-M, chamada de “inflação do aluguel”, os preços ao consumidor (IPC, que representa 30% do total) passou de 0,33%, em junho, para 0,29%. Três dos oito grupos tiveram taxas menores: Habitação (de 0,69% para 0,13%), com destaque para a tarifa de eletricidade (de 0,89% para -1,04%), Vestuário (de 0,70% para -0,07%) e Despesas Diversas (de 1,48% para 0,58%). Caíram os preços de roupas (-0,27%) e de cigarros (-0,52%).

O grupo Alimentação subiu de 0,12% para 0,44%, com alta nos preços dos laticínios, de 3,90% para 8,28%. Transporte foi de -0,26% para -0,04%. A FGV destaca os aumentos de passagem aérea (de -4,90% para 14,40%) e tarifa de ônibus urbano (de -0,28% para 0,28%).

Em 12 meses, o IPC atinge 8,21%.

O IPA (preços ao produtor amplo, que corresponde a 60% do índice geral) foi de 2,21% para -0,01%. Em 12 meses, vai a 13,72%.

E o INCC (custos de construção) desacelerou de 1,52% para 1,09%. No acumulado, está em 6,85%.

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.