Baiano tenta comprovar há quase 1 ano que placa de carro foi clonada

O veículo de Luiz está nas estatísticas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA).

Na hora de resolver o problema, o analista de sistemas descobriu que a situação dele é mais complicada do que parece.

O analista de sistemas Luiz Neri Júnior, que mora em Salvador, tenta há mais de um ano comprovar que a placa do carro dele foi clonada. A compra do veículo também foi feita na capital baiana, em dezembro de 2016, mas ele já recebeu multas das cidades de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, e de Senhor do Bonfim, no norte da Bahia. Luiz conta que nunca foi nos lugares onde o carro foi multado.

Na hora de resolver o problema, o analista de sistemas descobriu que a situação dele é mais complicada do que parece. É que o setor de multas é diferente do de clonagens no Detran, ou seja, Luiz precisou recorrer de cada multa em separado e abrir um processo de avaliação de clonagem de veículos. Contudo, o processo todo leva ao menos seis meses. Diante do problema, o IPVA venceu e ele precisou pagar, não só o imposto, mas todas as multas.

O veículo de Luiz está nas estatísticas do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA). Conforme o órgão, o número de carros com placas clonadas na Bahia cresceu 40% nos últimos três anos. Ainda conforme o Detran, de janeiro a outubro deste ano, mais de 600 pessoas solicitaram troca de placa por causa de clonagem. Em 2016, 99 carros foram autorizados a trocar a placa e este ano, até agora, já são 138. (G1)

Comentários

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.